Terça-feira, 15 de Junho de 2010

Olhei em seus olhos e vi: humanidade.

Se quer conhecer pessoas estranhas, só entre em um ônibus e olhe ao redor. Cada curva, cada vez que o semáforo enrubrece ou esverdea, sempre surge uma coisa nova, uma pessoa nova, um rosto novo, um olhar novo, um novo ponto de vista. No começo parece tudo a mesma coisa: padaria, borracharia, farmácia, petshop, igreja, lanchonete, bar, prédio, padaria, farmácia, borracharia, dentista...
Mas então achei a diferença: humanidade.
Se você olhar superficialmente, você só acha material, o físico, tudo tão vazio, sem alma. Mas olhando profundamente, encontra-se a substância, a essência, a vida. E essa diferença é a humanidade. Não pensando na humanidade como um substantivo, mas como algo abstrato, adjetivos. A ternura, a verdade, a realidade.
É o garoto que agora mostra algo no celular para seus amigos, o que pode ser uma foto de uma garota sexy ou uma foto de sua esposa e filhos ou mesmo uma paisagem qualquer... O velho que segura a mão de seu neto e mostra uma pipa voando alto no céu ou seria apenas outro meio de conhecer a direção do vento? Ou estaria narrando uma mágica história de como realmente é o céu. Também há uma mulher com todas as suas cinco crianças. Talvez a quinta não seja a dela, mas a criança de uma de suas crianças. Mas o simpático amigável motorista de sorriso estridente alerta a garotinha para ir se sentar no lugar mais legal do ônibus. Legal é uma palavra tanto quanto patética, mas é precisamente a palavra que descrevia o que passava dentro da cabeça da menininha cujo os olhos eram pra lá de brilhantes e agitados.
São muitas situações paralelas, mas não há como negar que tudo está interligado. Tudo, todos, pessoas, gente. Palavras que empobrecem os textos de um modo geral, mas enriquecem o diagnóstico que aqui segue. Cada terno detalhe, cada ação nobre, ou nem tão nobre assim, lembra como o mundo é um mundo tão lúdico, mágico - divino, talvez fosse a palavra ideal. Real.

 

-

No tumblr (onde escrevo em inglês) as adjetivações ficam mais bonitas.


por Dani Takase às 17:30
permalink | comentários | +fav

últimas fugas

OEDIPOUS

m.

coletânea de palavras sem...

Sé dulce, Septiembre

No porta-malas

Fortaleza

Solilóquios II - O Margin...

Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


a farsante


descubra.

. 2 seguidores

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

_

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar no em fuga -

 

~

(

RSS

_

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

?

we♥it