Segunda-feira, 19 de Julho de 2010

... de angústias intituláveis.

Ela deu boa noite com uma ternura fora do normal, com tal ternura nunca antes demonstrada. Apesar da ternura, foi dormir com uma sensação engraçada, um aperto incômodo, um desconforto extremado. Sentindo algo fora do lugar.

Noite escura, silenciosa, intensa. Noite de provocar falta de ar e suspiros e incertezas. Angústia. ¿Qué pasa?

Ela ali, exausta mas confortada, tinha cobertores que a aquecessem numa noite tipicamente fria de inverno. Não há ruído, não há sombras, não há luz. Tudo parece inexistente - subsistente.

Lá, exausto, com roupas que mais agrediam do que aqueciam, sequer sabe-se onde. A cidade nem parece acordada, parece mansa e inofenciva, completamente sonolenta e vulnerável. É cabível que seja o único a perambular - bêbado, mas consciente o suficiente para auto-conhecer cada pedaço de sua  estupidez.

Ela aperta o cobertor contra o peito procurando entender o motivo de se sentir tão mal. Dificuldade de respirar, talvez seja psicológico. Talvez esteja perdendo tempo pensando nisso. Relutando contra uma turbulência interna, cai no sono, mas seus olhos não se fecham descansados, mas preocupados.

Sentado no guia de uma esquina qualquer, onde os postes eram pálidas luzes de sódio que  deixavam sua aparência ainda mais fúnebre. Vômito. Vomitou palavras não ditas. Ressaca de cerveja, vinho barato e vodka má qualificada, arrogância e ignorância. A esta altura mal se sustentava em pé, mal se sustentava na vida. Aquela imagem era o retrato do que construíra na vida: atirado ao chão sobre os restos substanciais adquiridos de seus mals costumes e ações impensadas. Visto de qualquer ângulo era um desgraçado, digno da mais indigna pena.

Ela em seus sonhos turbulentos como seu sono se via andando num pedaço de chão entre dois abismos, onde ventos fortes vindos de todas as direções tentavam desequilibra-la. Lágrimas desesperadas saíam de seu rosto, fraca, um passo em falso, um tropeço, cai, desmorona, flutua o caminho dos ventos numa queda sem fim até que acorda.

Desenhando nos poucos vultos que o rodeavam um rosto jamais visto. Uma saudade intitulável de algo que nunca possuiu. Uma necessidade estranha de algo que nunca teve. As paredes pareciam cair sobre ele, numa rua dem saída de paralelepípedos ásperos. Pegou no sono assim mesmo, uma expressão que mistura alívio, culpa e não - era só uma cena que expressava solidão.

aos ouvidos: Deep playlist.

por Dani Takase às 23:13
permalink | comentários | +fav
2 *:
De Farias . a 20 de Julho de 2010 às 01:06
Belíssimo, como sempre, Dani. Parabéns!


De leonardo4277556 a 20 de Julho de 2010 às 05:53
Uma mesma história contada de forma paralela. Ou duas histórias realmente paralelas confundindo a cabeça de um ser exato como eu?

Na verdade não importa. Ou uma única história, ou duas histórias paralelas e espelhadas. Por isso não foi preciso defini-las no texto.

Incrível.

Parabéns.


fuja!

últimas fugas

OEDIPOUS

m.

coletânea de palavras sem...

Sé dulce, Septiembre

No porta-malas

Fortaleza

Solilóquios II - O Margin...

Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


a farsante


descubra.

. 2 seguidores

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

_

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar no em fuga -

 

~

(

RSS

_

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

?

we♥it