Sexta-feira, 20 de Agosto de 2010

... de libertar a América com vermelho.

 

Imaginei todo tipo de metáfora, de comparação e hipérbole, frase feita, plagiada, mas nessas horas em que a emoção toma o peito, a garganta e o corpo inteiro, o jeito é falar a verdade e a não-poesia que vier a cabeça.

Que esporte mais sem propósito: até que ponto chega o ser humano ao correr atrás de uma esfera. Não, não é só um jogo, tem todo um propósito, uma meta em comum, um espírito de equipe.

Uma vez há não muito tempo, o que me levou às lágrimas não foi um sentimento lá muito digno: vingança. Ah, desprezo, raiva, rancor. Era uma criança boba, que nem sabia o que era impedimento. Mas as lágrimas caíram e a América foi pela primeira vez tomada de um espectro rubro. Mas isso eu não vivi. Apenas presenciei. Observei de longe.

Eis que o mundo é vermelho. O sentimento já era mais sincero e espontâneo: alegria de ver o mundo consagrar o Internacional de Porto Alegre campeão. E quem conhecia o Internacional?  Eu, e isso bastava. E eu já sentia e esbravejava: eu quero ser colorada.

E futebol passou então a ser palavra comum no meu cotidiano. Começando pelas regras básicas. Primeiro passo para que o futebol não se torne chato: aprenda o que é o impedimento. Então, o que era simpatia virou paixão.

Nascer, crescer, viver, morrer torcendo para algo nunca me soou poético. Sempre achei a atitude da escolha o lado mais bonito do torcer. E fiz minha escolha. E não escolhi errado.

Num deslize, uma baixa colocação e enfim campeão da Sul-americana, campeão de tudo. Um centenário obsessivo, sedento por títulos. Contentar-se com um Estadual não foi o suficiente. O vice-campeonato não serve de consolo.

Era preciso foco e vontade; raça e coragem. Cambaleando foi-se, classificações apertadas, jogos acirrados e dúvida, muitas dúvidas.Vencer a tormenta de verão em sua casa. Os Estudiantes. Sufoco e que sufoco! E sob uma nuvem de fumaça, fumaça imprudente de quem comemora antecipadamente, ah!, é agora a semifinal: clássico dos clássicos na minha condição de colorada estrangeira. São Paulo e Inter e era Roth. Um retorno sem derrotas, um retorno triunfal. Um time que inspira confiança e aspira alegria, transpira bom futebol. Um jogo monstruoso no Beira-Rio, jogo de gigantes que só teve um  gigante, que se mostrou longos noventa minutos muito superior. Mas se tratavam de cento e oitenta minutos. A primeira tarefa bem cumprida. A parte difícil era ganhar de Cícero e todos os seus discípulos. Derrotar um ídolo que trouxe tantas alegrias mas fazer com que o palco fosse o cenário da mesma alegria de anos antes. E foi. No começo um dois-zero de roer todas as unhas borradas de vermelho e destruir a camisa e todos os objetos a alcance. Jogo tenso, muito tenso, mas e agora? É agora? Gol! E que gol! E que gol! E foi a derrota mais vitoriosa da história.

A euforia e os bons ventos sopraram, a peste arrastou um time parvo até ali. A superioridade do inter é tamanha e incomparável. Mas "era só não deixar aquela entrar, tirar dali, tirar dali, gol, do Chivas". Que expressão que havia no meu rosto. Incredulidade? Estava pasma, mas confiante. Era injusto aquele resultado e havia quarenta e cinco minutos para reverter de imediato, e então, voltar para casa para definir. O resultado poderia ser melhor: gol, do predestinado. E gol de passes improváveis: passe de cabeça dum nativo para um libertador. Gol de dois campeões e, logo, no fundo eles sabiam - e Tales diz que sabia, e como sabiam - bicampeões.

Mas parece piada, seria tão fácil assim? Casa cheia e um Beira-Rio pulsando como um coração só, xalaialaiá, e gol. Gol? É, gol. O inter superior mas, como sempre leva o susto previamente. Mas voltaram com um propósito ainda mais aparente, e agora sem nervosismo. Estava claro, vamos para cima, vamos. Quase! Por tão pouco. Foi falta, foi indigno, desrespeitoso, desleal! O touro caiu, mas não desiste, é caído que faz o passe, chega para alguém, cruzamento belíssimo e é, sim, foi! Foi! Gol! E de novo, de novo, sozinho, o touro só se aproximou, a pressão psicológica foi tamanha que culminou no passe errôneo, passe errôneo que em cinquenta e um metros de coragem e com a precisão, mais um? É, e lá vem mais. É seu, predestinado, e foi e só então senti o Guaíba sair de meus olhos. Não é preciso dizer que um gol foi tomado. São detalhes que compõem e estragam a verdade: era campeão. E a América era vermelha novamente.

E não foi vingança que me fez gritar, foi maior que isso. A América dormiu vermelha, o dia amanheceu avermelhado, as unhas vermelhas, a blusa vermelha, o batom vermelho. Mas não foi esse o vermelho que me levou essa alegria. Foi o vermelho do sangue que pulsa entre as veias e faz bater um coração no meu peito. Um coração mais colorado que nunca, mais vermelho que nunca. Comi morangos e o sol se pôs num crepuscular rubro.

"Eu quero saber, você já viu a chuva caindo num dia de sol? Já viu a chuva caindo num dia glorioso?"

 


por Dani Takase às 03:45
permalink | comentários | +fav

últimas fugas

OEDIPOUS

m.

coletânea de palavras sem...

Sé dulce, Septiembre

No porta-malas

Fortaleza

Solilóquios II - O Margin...

Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


a farsante


descubra.

. 2 seguidores

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

_

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar no em fuga -

 

~

(

RSS

_

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

?

we♥it