Quinta-feira, 23 de Julho de 2009

... do mal-olhado, olho gordo ou outra maré de azar qualquer.

Ultimamente não ando quebrando espelhos, gatos pretos não andam cruzando meu caminho, não passei por debaixo de escadas, muito menos cismo com o número 13, até me simpatizo com o tal.

Às vezes é inacreditável o modo que as coisas acontecem. Na verdade, é difícil imaginar como as coisas poderiam piorar. Julgo ontem como um dia inacreditavelmente azarento/azaroso ou seja lá qual for o adjetivo que defina minha inacreditável falta de sorte.

Vamos aos fatos.

 

*1º fato*

Como estudante, é bem justo que eu tenha direito a pagar meia entrada no cinema. Uma hora de fila apenas para a tão esperada compra. "Não aceitamos mais carteirinhas de 2008". Ótimo. R$19,00.

 

*2º fato*

Bom filme. Até que uma simpática garota sentada na minha frente, ergue a divisória de cadeiras derrubando o copo de refrigerante em meus pés.

 

*3º fato*

Acabou-se o filme. Ao me levantar reparo que estava levemente grudada a cadeira. Chiclete. Ah, chiclete. Faz mal para saúde e mal para calças jeans. Ah, é inacreditável.

 

*4º fato*

Desfilo pela aglomeração popular com minha calça jeans grudenta. Corro para o banheiro. Parecia uma louca no banheiro. Olhava para as dezenas de espelhos esfregando minha calça, e não era nada divertido. Todos me olhavam. É desesperados quando todos te olham e você tem a certeza de que não é algo positivo. Nada positivo.

 

*5º fato*

O jogo mais esperado por mim o ano todo. Não pretendia falar de futebol aqui, mas é inevitável hoje. Empate é considerável. Não pra mim. Queria vencer.

 

Pensando bem, muita coisa poderia ter sido pior. A fila poderia ter sido maior, o ingresso mais caro, o refrigerante poderia estar cheio, o chiclete poderia não ter saido o suficiente pra ser utilizável, o chiclete poderia ter arruinado minha calça, o meu time poderia ter perdido.

Hm, talvez tinha sido dramática demais, nem foi tão ruim assim.

Ultimamente, não ando encontrando trevo de quatro folhas, não carrego ferraduras nos bolsos, meus dedos não vivem em formato de figas, no entanto, fiquei (quase) inteira. Fui dormir com um sorriso estampado no rosto. Inacreditável.

 

Não: não gosto de ser objetiva e direta em meus textos, mas afinal, ontem merecia detalhes.

no momento: afraid of the dark, ♪
aos ouvidos: Medo de Escuro - Falamansa

por Dani Takase às 18:21
permalink | comentários | +fav
1 *:
De Correspondente secreto a 23 de Julho de 2009 às 19:08
Má sorte mesmo tem os goleiros do São Paulo, hm


fuja!

últimas fugas

OEDIPOUS

m.

coletânea de palavras sem...

Sé dulce, Septiembre

No porta-malas

Fortaleza

Solilóquios II - O Margin...

Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


a farsante


descubra.

. 2 seguidores

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

_

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar no em fuga -

 

~

(

RSS

_

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

?

we♥it