Domingo, 7 de Novembro de 2010

A Farsa dos Eletrodomésticos - A Penitência

Um tinido estridente e incômodo. Um ruído ensurdecedor, infernal. Os quartos foram transformados em salas cujas paredes eram feitas de azulejos eletrônicos. As tevês cobriam cada centímetro de até então papel de parede azul marinho e de outro lado pôsteres adolescentes. A intensidade do brilho era esgotante, mas o pior era o chiado. Chiado que ia além de tímpanos e martelos, ondas de som que adentravam o cérebro e chocavam e chacoalhavam os neurônios.

De uma fresta na porta a mãe espiava descrente. O menino olhava de olhos exorbitados e sua pupila dilatada como que contida numa escuridão de uma eternidade sem luz. Ele parecia em transe. E reagia com uma lerdeza descomunal. A mãe só segurava em lágrimas a esperança de que aquela máscara de zumbi fosse cair. Mas não cairia.

Ele estava condenado a passar uma semana olhando para aquelas telas. Eram apenas riscos, elétrons chamuscando-se e implodindo. Aquelas imagens tanto fantasmagóricas. Eram granulados e ruídos.

A garota olhava atarantada e não menos zumbi. Os olhos sujos de lápis de olho corroboravam na perspectiva mórbida que apresentava. O caráter pálido e enfermo, sua pele transparente fazia com que as veias aparecessem, desenhavam um caminho todo frenético. Frenético era aquele lugar transbordado de luz.

A mãe fora julgada inocente.

"...uma pobre coitada desmerece sequer alguma consideração. Saia..."

Desmerecia... Eles mereciam, condenados... Que se tratava tudo aquilo afinal?

A mulher sobe as escadas até o sótão à procura de refúgio. As paredes estavam vazias. Não havia mobília, não havia mais nenhum ser animado nem inanimado. Vivo ou morto. Só os dois quartos, inacessíveis, e o resto era silêncio e vazio. E alienação.

As janelas foram tapadas com madeiras. O sol às vezes se mostrara por frestas e mal se sabia quantos dias se  passara. O sótão era tentador. Estender-se naquele chão e dormir, pois nem mesmo um pesadelo seria tão ruim.

 

em tags:

por Dani Takase às 22:31
permalink | comentários | +fav

últimas fugas

OEDIPOUS

m.

coletânea de palavras sem...

Sé dulce, Septiembre

No porta-malas

Fortaleza

Solilóquios II - O Margin...

Maio 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


a farsante


descubra.

. 2 seguidores

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

_

toda a farsa:

Maio 2013

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

pesquisar no em fuga -

 

~

(

RSS

_

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

?

we♥it